CDL abre espaço para discussão sobre o estacionamento rotativo

12/07/2019

Com a proximidade do encerramento do contrato da empresa Sermog, responsável pela exploração do estacionamento rotativo em Araranguá, a sociedade já demonstra preocupação com a situação. Reunião nesse sentido foi realizada na quinta-feira (11), no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) com a presença da diretoria, vereadores e membros de entidades araranguaenses.

O presidente da CDL, Luiz Gonzaga Pereira, intermediou a discussão, onde a maior preocupação dos vereadores era o fato de o projeto ter sido encaminhado para votação na sessão da Câmara na última segunda-feira, sem discussão entre eles, que são cobrados pela população quanto ao funcionamento do estacionamento. O projeto acabou sendo retirado da pauta do dia para que essa discussão acontecesse. O vereador Cristiano da Silva Costa, o Tano, disse que ninguém é contra o projeto, mas que ele precisa de algumas melhorias e que algumas emendas devem ser feitas. Francisco Diello, presidente da comissão de licitação do estacionamento rotativo, levou informações sobre o projeto, dizendo que foi realizado estudo técnico que embasa a licitação e que o mesmo contempla a implantação do uso de um aplicativo, visando facilitar o serviço principalmente no que diz respeito à tolerância, o que não existe hoje. Outro ponto muito discutido foi a questão da multa e o prazo de cinco dias para regularização. Enfim, cada um dos vereadores presentes tinha um ponto a discutir ou incluir no projeto, onde Gonzaga sugeriu que eles deveriam entrar em consenso para sugerir as alterações em conjunto e não individualmente, para não atrasar a licitação, uma vez que o contrato com a Sermog encerra em 90 dias. Questionado sobre a posição da CDL com referência ao assunto, o presidente da CDL afirmou: “se não nos importássemos com o estacionamento rotativo, não estaríamos discutindo isso hoje, na sede da CDL.” E completou dizendo que a CDL tem interesse na continuidade do serviço e que o momento é de discussão e avaliação para que haja melhorias.  Gonzaga ainda falou sobre a venda dos bloquinhos de tíquetes do estacionamento, que é feita em alguns estabelecimentos associados e no mesmo valor vendido pelas “amarelinhas”, com o propósito de contribuir com o serviço e facilitar a compra pelos clientes do comércio.

Imagens

Outras notícias